O BOLO E O SEU CAROÇO

Descíamos, paulatinamente, a Serra do Marão quando, ao passar junto a um restaurante, um jovem Sénior aconselhou uma visita ao dito. E explicou porquê, com mal disfarçada ironia: é que tempos antes, ali foi tomar uma refeição, acompanhado por uns amigos. Da ementa constava “bolinhos de bacalhau com arroz malandrinho”, que o nosso companheiro escolheu. Aliás, o companheiro não chegou a explicar se constava da ementa, ou se era prato único. Seja como for, os bolinhos lá chegaram à mesa, devidamente acolitados pela malandrice do arroz.

O companheiro atirou-se aos aloirados bolinhos como gato a bofe; mas qual não é a sua surpresa quando os seus dentes se defrontam com algo insólito que, após a devida e cuidadosa extracção da cavidade bucal, verificou ser um caroço de azeitona! NO INTERIOR DO BOLINHO, que se supunha conter, apenas, os ingredientes com que, habitualmente, se confeccionam ao bolinhos de bacalhau, ou seja: batata esmagada, salsa, ovo e, eventualmente, bacalhau, encontrava-se um despropositado caroço de azeitona!

Naturalmente que os restantes companheiros desta viagem deram largam às suas capacidades dedutivas. Assim, enquanto uns se inclinavam para a hipótese de um caso em que o malfadado caroço, quiçá defrontando-se com alguma crise de identidade, tenha optado pelo suicídio, outro, mais pragmático, afirmava que a cozinheira se pusera a comer azeitonas enquanto confeccionava os bolinhos alegadamente de bacalhau, cuspindo o remanescente da azeitona para a massa. Um terceiro, mais dado às questões da “legis”, alvitrava que, logo na altura, o colega-que-escolheu-bolinhos-de-bacalhau-para-a-refeição devia ter exigido o resto da azeitona ou, na impossibilidade, que a polpa do fruto fosse substituída por uma travessa de camarão da costa.

Presumo que ninguém tinha razão.

Quanto a mim, curioso que sou dos avanços científicos, opino que se trata de um bolinho de bacalhau mutante, com o respectivo caroço. E defendo que se o colega tivesse guardado o tolontro e o tivesse, posteriormente, plantado, no quintal lhe nasceria um lindo arbusto que todos os anos, após a devida e conveniente floração, lhe haveria de dar gostosos e estaladiços bolinhos de bacalhau, já prontos a comer.

Provavelmente, sem caroço…


Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by C. Moreira on Agosto 17, 2006 at 1:45 am

    Ora bem,sobre este assunto e na minha modesta opinião,posso dizer que desconhecia por completo,esta nova modalidade dos bolinhos de bacalhau!
    Conheço os bolinho de BATATA(tbm. conhecidos de BACALHAU),os “PASTEIS DE BACALHAU”(estes são mais em LISBOA) e os verdadeiros,os puros,os genuinos “BOLINHOS DE BACALHAU”!
    Agora…bolinhos de caroços de AZEITONA?
    Pra mim é novidade.Mas como neste PAÍS tudo muda,já nada me admira!
    Só uma questão:
    Pelo menos-os bolinhos de bacalhau/caroço de azeitona-traziam uma(1)espinha?

    Responder

  2. Posted by calhordus on Setembro 3, 2006 at 4:02 pm

    Faz-me lenbrar na tropa,no regreso d’ums exercios,a fome éra tanta, que houve um tipo de Peniche que mandou para dentro do bol da soupa a sua dentadura,E.P.DO S.M Sacavem

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: